a
Notícias do Agro

por | Aug 19, 2021 | 0 Comentários

Inmet firma a primeira apólice do Seguro Paramétrico para produção de cacau no sul da Bahia

Os dados meteorológicos das estações do Inmet foram utilizados como indicadores de risco para o contrato entre a seguradora e os agricultores.

De maneira inédita, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) firmou a primeira apólice do Seguro de Índice Paramétrico SIM Inmet para os produtores de cacau do sul da Bahia. A ação tem como objetivo mitigar os impactos das alterações do clima na produção. 

A primeira apólice do seguro paramétrico SIM Inmet vai cobrir a produção de cacau em três fazendas de Ilhéus (BA), com 140 hectares, contra o excesso ou falta de chuvas entre 1º de agosto e 30 de setembro. A ação é realizada em parceria com a NEWE Seguros S.A., a Wiz Corporate Partners, a Dengo Chocolates e ZCO2/BlockC, juntamente com o apoio do Instituto Arapyaú

Os dados meteorológicos das estações do Inmet foram utilizados como indicadores de risco para o contrato entre a seguradora e os agricultores. A data, o evento meteorológico listado e a intensidade foram definidos em comum acordo entre as partes. O período escolhido é o mais sensível para o desenvolvimento, produtividade e qualidade do fruto para os produtores de cacau da região.

“É uma alternativa para oferecer, minimamente, uma garantia caso a chuva não corresponda em um período chave para a floração e desenvolvimento do cacau, um complemento de renda para o produtor e um reconhecimento do valor que tem esse meio de produção sustentável”, afirmou Ricardo Gomes, gerente do Instituto Arapyaú, que atua há 13 anos na região e participou da análise dos parâmetros definidos. O objetivo é evitar impactos como os ocorridos na região da costa do cacau entre 2014 e 2016, quando houve uma seca que acabou com cerca de 50 mil hectares produtivos.

O seguro paramétrico, é um seguro de índice, para a ocorrência de eventos naturais. É diferente do convencional, por não ser necessário haver um dano físico na propriedade rural, causado por um evento climático, para que o segurado tenha direito ao pagamento do seguro. O segurado poderá ser ressarcido caso não tenha sido alcançado índices meteorológicos estabelecidos no contrato, como quantidade de chuva, velocidade e intensidade do vento, temperatura, número de dias de sol, ocorrência de geada, granizo, inundação e outros dados específicos para a região produtora.

A insuficiência de chuva, em um período de crescimento de uma cultura, por exemplo, pode impactar de forma negativa a qualidade do produto a ser comercializado. Neste caso, com o seguro paramétrico, o segurado poderá ser ressarcido em razão do potencial dano à produção, o que reduz os custos ao produtor.

A ministra Tereza Cristina destacou que seguradora e produtor rural asseguram um parâmetro “que vai disparar o gatilho da cobertura de apólice”. “O Inmet assegura assim a independência e a veracidade das informações segundo o critério de apuração. O seguro paramétrico é uma solução de gestão de risco que pode ser customizada para atender todos os setores do agronegócio”, disse a ministra, ao participar nesta terça-feira (17) de evento da Organização Mundial de Meteorologia (OMM). 

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/noticias/inmet-firma-a-primeira-apolice-do-seguro-parametrico-para-producao-de-cacau-no-sul-da-bahia)

Recentes